sexta-feira, 27 de novembro de 2015

VII Caminhada da Filvar


No passado dia 18 de Outubro e apesar do mau tempo, alguns elementos da Filarmónica Varzeense, fizeram ainda a caminhada até à Candosa, dado que o precurso previsto, foi cancelado. Em seguido realizou-se o almoço em que conviveram todos com muita animação. A todos o nosso muito obrigado pela colaboração!











Filarmónica Varzeense em Oroso - Espanha


Concerto em Oroso-Espanha nas comemorações do ois Oroso Arte 2015.
A convite da Presidente da Câmara Municipal de Góis Dra. Lurdes Castanheira e integrado nas Comemorações do Góis Oroso Arte 2015, a Filarmónica Varzeense esteve, nos dias 11 e 12 de Setembro em Oroso-Espanha.
A Filarmónica Varzeense foi muito acarinhada por todos os presentes, e no final foi renovado o convite para estar presente no próximo ano 2016.



113º Aniversário da Filvar


 
Na data em que a Filarmónica Varzeense comemorou o seu 113.º aniversário, o município de Góis reconheceu, a título póstumo, o maestro Nelo Paiva e presenteou a filarmónica aniversariante com um cheque no valor de cinco mil euros.
Os festejos, que decorreram no dia 26 de julho, iniciaram com Missa Solene, presidida pelo Pe. Carlos Cardoso, na igreja Matriz de Vila Nova do Ceira, acompanhada ao som da Filarmónica aniversariante e seguida de procissão, em honra de Santa Cecília-padroeira da música.
Sob uma manhã de sol radiante, diretores, convidados e amigos da colectividade acompanharam a Filarmónica numa romagem ao cemitério, onde foi depositado um arranjo de flores, em memória dos dirigentes, maestros, executantes, sócios e amigos da Filvar já falecidos.
O habitual almoço convívio, que decorreu na sede da FILVAR, este ano superou todas as expectativas, porque além de ter reunido dirigentes, executantes e amigos da centenária Filarmónica, trouxe ainda os muitos amigos do saudoso maestro Nelo Paiva, tornando o espaço pequeno para acolher todos os que se quiseram associar a este inesquecível momento.
A deliciosa ementa foi confecionada e servida pelos voluntários que se predispuseram a ajudar e, no final do repasto, o Maestro Nuno Alves convidou os presentes a associarem-se ao momento das intervenções, que visou homenagear o Maestro Manuel Silvestre Santos de Paiva e felicitar a filarmónica aniversariante.
A iniciar as intervenções, o Presidente da Filvar, João Bruno, começou por agradecer a presença de todos e formulou votos de longa vida para a Filvar. Enalteceu o “gesto gratificante da Câmara Municipal” em homenagear o saudoso Maestro Nelo Paiva, lembrando que a Filvar também já o houvera homenageado em janeiro de 2014. Embora não o conhecesse bem, o presidente da direção admitiu que “por aquilo que deixou, o trabalho que realizou na Filvar e pelas amizades que criou, Nelo Paiva foi de certeza uma pessoa extraordinária”. João Bruno deixou ainda uma palavra de apoio à família do homenageado, que, conforme terminou: “fez e continua a fazer parte desta grande família que é a Filarmónica Varzeense”.
António Carvalho, presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova do Ceira, de lágrimas nos olhos, também proferiu palavras de elogio ao seu grande amigo Nelo Paiva, não só pelo trabalho desenvolvido, mas também pela sua personalidade e amor a Vila Nova do Ceira.
A emoção continuou cravada no rosto do interveniente seguinte. José Rodrigues, em representação da Assembleia Municipal de Góis, teceu palavras de reconhecimento ao seu amigo Nelo Paiva, recordando episódios como o momento em que Nelo compunha a música para a letra que ele elaborava para a Marcha Popular. José Rodrigues elogiou ainda a atual direção da Filvar e o atual maestro Nuno Alves, que “dignamente tem acompanhado a FILVAR”, desenvolvendo um “trabalho de excelência”.
A nobre missão de apresentar o homenageado coube a António Penicheiro, seu grande amigo e fiel companheiro em muitas horas de música.
Recorde-se deste discurso que:
Nelo Paiva nasceu em Miranda do Corvo, a 27 de novembro de 1957, tendo falecido em 2013, aos 55 anos. Exerceu as funções de Maestro e de Professor de Música na Filarmónica Varzeense, com elevada qualidade musical, profundo empenho e profissionalismo ao longo de 23 anos. A sua grande paixão sempre foi a música. Aos 25 anos já assumiu a regência da Filarmónica Mirandense. Dedicou-se ao associativismo e voluntariado. No concelho de Góis, mas sobretudo em Vila Nova do Ceira este Homem e Músico deixou uma marca inesquecível. Sempre presente nos momentos importantes da Filvar, desde os ensaios, as atuações em festas ou em concertos, passando pela organização e pela sua participação em caminhadas, em jogos de futebol de salão, até ao Cantar das Janeiras e sem esquecer os eventos comemorativos como o tradicional almoço anual da festa da Filvar, jantar de Natal ou outras ocasiões de angariação de fundos. Por tudo isto e por muito mais, o maestro Nelo Paiva foi sempre mais longe do que era exigido a um maestro. Homem empenhado e preocupado com a qualidade musical da Filvar, conseguiu elevá-la ao nível mais elevado que a Filvar já conheceu. Era conhecida a forma cordial e amiga com que tratava todos os músicos, tornou-se por isso um excelente exemplo que deve ser conhecido e imitado por todos. Sabemos que depois de Miranda do Corvo, a sua terra natal, era Vila Nova do Ceira a localidade que ele mais cuidava. Os varzeenses faziam parte da sua família e a Filvar era a joia querida da sua vida.
A terminar a sua intervenção, António Penicheiro recordou ainda o contributo de Nelo Paiva para os primeiros concertos comuns entre as duas filarmónicas do concelho de Góis.
Chegou então o mais emocionante momento do dia. A família de Manuel Silvestre Santos de Paiva recebeu a Medalha de Mérito do Concelho de Góis, das mãos da presidente da Câmara Municipal de Góis, acompanhada de respetivo certificado comprovativo e de um ramo de flores.
Lembre-se que, esta distinção foi aprovada na reunião do executivo camarário de 12 de novembro de 2013, depois de proposta da Presidente da Câmara, reconhecendo ser “uma forma de homenagear Nelo Paiva que exerceu as funções de Maestro e de Professor de Música na Filarmónica Varzeense, com elevada qualidade musical, profundo empenho e grande disponibilidade ao longo de 23 anos”. Conforme consta em ata: “a profunda dedicação à causa da música, a manutenção e assinalável qualidade musical da Filarmónica Varzeense constituem assim, imperativos de justiça para que se reconheça e valorize publicamente o papel e ação de Nelo Paiva na história do concelho goiense...”
Após leitura da citada ata, a difícil missão de agradecimento coube ao filho mais velho do homenageado, Bruno Paiva, que, muito emocionado, agradeceu a homenagem, enaltecendo a Filvar por se encontrar de novo a atravessar uma fase de expansão. Enalteceu igualmente o trabalho da atual direção e, refletindo o que aprendeu com seu pai, terminou deixando uma lição de vida: “temos muito o hábito de nos queixar por falta de tempo, eu nunca ouvi o meu pai dizer que não tinha tempo...”
O momento de homenagem ao Homem e ao Músico, integrado no 113º aniversário da Filvar, encerrou com palavras da presidente da Câmara Municipal de Góis, Dr.ª Maria de Lurdes Castanheira que felicitou a filarmónica aniversariante e enalteceu o trabalho da atual direção, bem como o empenho do maestro Nuno Alves. A autarca deixou igualmente uma palavra de elogio e incentivo aos executantes e alunos da escola de música e recordou os que passaram pela Filvar ao longo de mais de um século, bem como os últimos dirigentes- Sr. Amorim e Sr. Jaime.
Relativamente ao homenageado, admitiu não ser uma homenagem de circunstância, porque, conforme acrescentou: “em política também existem sentimentos”, e na qualidade de amiga de Nelo Paiva, reconheceu que, pelo que fez e por quem foi, ficará sempre na memória dos varzeenses.
A encerrar com chave de ourou, a presidente da Câmara Municipal presenteou a filarmónica aniversariante com um cheque, no valor de cinco mil euros, desejando os melhores sucessos para a centenária filarmónica.
Com o Adro da Igreja cheio, numa tarde que, nitidamente, foi do agrado de todos, foi possível ouvir o Grupo de fados António Penicheiro e Henriqueta Vale do Rio, a Filarmónica da AERGóis, a Filarmónica Varzeense, os alunos da Escola de Música da Filvar, e, para finalizar, um inesquecível concerto conjunto com as duas filarmónicas do concelho.
Mas, com as surpresas a multiplicaram-se em catapulta, durante a tarde, houve ainda tempo para troca de lembranças entre as Filarmónicas e a Câmara Municipal. Todos os músicos e maestro da Filarmónica anfitriã receberam, da direção da Filvar, um quadro alusivo à Filarmónica, com a fotografia de cada um, de forma a perpetuar o momento, com principal destaque para os cinco músicos mais antigos da Filvar: António Martins, José Carvalho, António Alves, António Nelson, e Cajó.
No intervalo do Mega concerto houve ainda tempo para a presidente da Câmara e os presidentes da direção da Filvar e da AERG, respetivamente João Bruno e Rui Sampaio, tecerem palavras de incentivo e desejarem um futuro promissor às Filarmónicas.
João Bruno aproveitou ainda o momento para agradecer a todas as pessoas e instituições que colaboraram para a realização deste evento, bem como, aos que recentemente colaboraram na aquisição de instrumentos. Enalteceu o trabalho do maestro Nuno Alves e dos professores da escola de música e destacou o empenho dos alunos e executantes.
Durante a tarde foi ainda feito o sorteio das rifas vendidas pela Filvar, cabendo o primeiro lugar ao número 399, o segundo lugar ao 934 e o terceiro prémio à rifa com o número 698.
O Jornal O Varzeense, que também se associou à cerimónia, aproveita para felicitar a Filarmónica Varzeense pelo seu 113º aniversário e deixa uma palavra de coragem aos familiares do saudoso Maestro Nelo Paiva-inesquecível amigo que foi deste jornal.

In jornal " O Varzeense" de Agosto de 2015
 













quarta-feira, 1 de julho de 2015

Músicos da Marcha de Vila Nova do Ceira, em Góis 20.06.2015

Os músicos da Filvar no seu melhor, acompanhando a Marcha Popular de Vila Nova do Ceira 2015. Parabéns a todos pelo esforço demonstrado

Festa do Corpo de Deus em VNCeira, com a Filarmónica Varzeense

A Igreja viveu,no passado dia 7 de Junho, Domingo, a celebração liturgica da Festa do Corpo de Deus.

Esta Festa teve início no séc. XIII, para realçar a presença real do Corpo e Sangue de Jesus na Hóstia Consagrada na celebração Eucarística, instituida por Jesus na última Ceia, em Quinta Feira Santa.

À celebração da festa deste dia é dado destaque especial à procissão, realizada no fim da celebração Eucaristica, em que é conduzido o santissimo sacramento presente na Hóstia Consagrada, levada na "Custódia", pelo Presidente da Celebração, ornamentando as ruas por onde passa.

Também na paróquia de Vila Nova do Ceira se procurou dar brilho a este dia. Juntaram-se várias pessoas para ornamentar as ruas com uma bela passadeira de verdura e flores por onde passou a procissão, em que se incorporaram a Filarmónica Varzeense e bastante povo, dando assim mais dignidade à vivência deste ato liturgico.
 
Que todo o esforço e entusiasmo demonstrados sejam realmente manifestação da fé deste povo e que Jesus Sacramentado abençoe a nossa terra e suas gentes.

In jornal " O Varzeense" de 07.06.2015






Alunos da Escola de Musica da Filvar, no Dia Mundial da Criança 01.06.2015

Os alunos da Escola de Musica da Filvar estiveram presentes nas Comemorações do Dia Mundial da Criança em Góis. Muita animação e muita musica. PARABÉNS
 

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Campeonato da Sueca da Filvar - Entrega de Troféus


video
Almoço-Convívio Encerrou Campeonato de Sueca
A Filarmónica Varzeense-Filvar realizou, no dia 19 de abril, um almoço convívio, que decorreu na sua sede, em Vila Nova do Ceira. Esta confraternização, que teve como objetivo divulgar os resultados do Campeonato de Sueca, promovido por esta filarmónica, pretendeu ainda angariar fundos para ajudar a fazer face às despesas correntes e promover o convívio entre os executantes, alunos, maestro, diretores e amigos da Filvar.
Durante o almoço, e porque o motivo principal da união era a centenária filarmónica, reinou o espírito de união e salutar convívio em torno desta nobre causa cultural. Aproveitando, todos, a degustar a ementa, muito bem confecionada e servida por um grupo de voluntários.
Após o almoço, o Presidente da Direção da FILVAR, João Bruno, fez as honras da casa, agradecendo a todas as equipas que participaram no Torneio de Sueca, bem como, aos que marcaram presença no almoço. Em declaração ao nosso jornal também aproveitou para agradecer aos que ajudaram a confecionar e servir o almoço e ao jornal O Varzeense pela disponibilidade sempre demostrada na divulgação dos eventos da Filvar e a todos os que contribuíram com oferta dos troféus, nomeadamente: Câmara Municipal de Góis, Junta de Freguesia de Vila Nova do Ceira, Cooperativa Social e Agro Florestal de Vila Nova do Ceira,Casa do Povo de Vila Nova do Ceira, João do Talho e Supermercado Rui e Dinora. João Bruno deixou ainda um agradecimento ao Sr. “Zé do Café” e à Casa do Povo de Vila Nova do Ceira pelo empréstimo de algum material utilizado durante o torneio, bem como ao Sr. João Paiva pela prestigiosa ajuda na preparação, no decorrer e após o Torneio.
António Carvalho, presidente da Junta de Freguesia local, louvou a Filvar pela organização do Torneio e enalteceu o forte empenho que esta Associação tem demonstrado na forma como trabalha com vista à angariação de fundos. António Carvalho, que também participou no Torneio, alcançando um primeiro lugar, felicitando ainda todos os seus colegas participantes.
Em seguida, interveio o vice presidente da Câmara Municipal de Góis, Dr. Mário Garcia, que também se congratulou pelo trabalho desenvolvido pela FILVAR, felicitando as suas iniciativas, nomeadamente este Torneio, onde ele próprio participou, passando bons momentos. Deixou uma palavra de louvor e incentivo à direção e apelou à entrada de novos sócios. Em nome da autarquia, assegurou que, dentro do possível, a Câmara Municipal pretende continuar a apoiar esta e outras instituições.
Após os discursos, passamos a divulgar os seis primeiros classificados: 1.º António Carvalho e Fernando Geraldes; 2.º Paulo Paiva e “Cunha”; 3.º Luís Barata e Fernando Barata; 4.º Jorge Marta e “Cunha”; 5.º Vítor Barata e Jorge Vidal; 6.º António Alves e C. Alves.
Lembre-se que o Campeonato primou pela forte adesão, com 22 equipas inscritas, num total de 44 participantes e decorreu em espírito de grande união durante todos os jogos.
 
In Jornal " O Varzeense " de 30 de Abril de 2015